OLHE PARA MIM,SOU UMA CRIANÇA

 



 



OLHE PRA MIM SOU UMA CRIANÇA
Marcial Salaverry
 
Egberto e Deolinda sentados em seu sofá, conversavam fazendo planos para o filho que em poucas semanas iria nascer, e como pais carinhosos, mantinham aquele diálogo carinhoso que os pais gostam de ter com seu filho para nascer, e tentavam dizer como poderia ser o futuro dele. Egberto disse que certamente seria médico, já Deolinda, mais romantica, imaginava que seria um artista de sucesso, e traçavam muitos planos para o garoto, esquecendo-se do que ele vai querer para seu futuro.
Dizem que a criança entende o que é falado quando ainda está guardado no útero materno, então certamente se o pequeno Julio pudesse falar, não iria concordar em ter seu futuro planejado por seus pais, que certamente escutariam o garoto dizendo algo assim:
"Papai, Mamãe, não quero ser apenas uma projeção para o futuro, como voces estão planejando, na verdade, quero que me considerem um presente para o presente de tua vida, deixando o futuro para o futuro. Certamente, vou precisar de teu amparo, de tua ajuda, de tua orientação. Preciso que saibam manter a luz acesa, para que eu possa enxergar meu caminho, sobretudo, peço que não me desamparem, e que não me deixem trilhar caminhos errados. Não tenho experiência de vida, portanto preciso de uma orientação segura, para caminhar no rumo certo.
Para que eu possa ajudar o mundo a viver em Paz, preciso saber o que é Paz. Ensinem-me como achá-la e mante-la, portanto, peço que não me ensinem o caminho da guerra. Não me ensinem a lutar, a guerrear, e para tanto, peço que não me presenteiem com armas. Quero aprender a brincar, e não a guerrear, a lutar, portanto, ensinem-me a ser cordial, a saber usar de generosidade, a ser sincero e correto em minhas atitudes.
Principalmente, queridos Pais, ensinem-me a praticar o bem, apenas a ser correto. Ensinem-me a ser uma criatura do bem. Não quero ser corrupto, nem desonesto. Estou iniciando minha vida, e preciso de bons exemplos, longe de mutretas e atividades perniciosas.
Não espero receber somente  o alimento, ou bens materiais, vou precisar receber  luz e entendimento, para aprender como é a vida.
Peço que me eduquem com amor e carinho, mas também com castigos, se os merecer. Não quero ser apenas uma criança mimada, quero ser uma criança educada, e que saiba respeitar meus semelhantes, e assim, peço que além de brinquedos, também que me mostrem com bons exemplos como praticar o bem, como ajudar a outrem. Como agora escuto suas conversas, peço que sempre conversem comigo, falando de seus problemas, explicando tudo o que preciso saber. A vida não é apenas brincadeiras e festas. Tem seu lado prático, tem seu lado difícil, que preciso conhecer também.
Espero que não me considerem apenas com um objeto para ser tratado com cuidado e desvelo, pois sou uma pessoa que está chegando para viver a vida. Esta mesma vida que estão vivendo, assim, espero merecer o carinho e não apenas recebe-lo sem merecimento ou devotamento. Espero que me estendam a mão com amizade e amor, e não apenas por obrigação de pais, preciso que me ensinem a ser bom e justo, a perdoar e ser perdoado. Estou chegando agora, e nada sei da vida. Dependo de voces para bem vive-la, e  marcar meu caminho com boas atitudes. Portanto, peço que corrijam minhas falhas, enquanto ainda posso aprender. Não esperem que o pior aconteça para depois tentar consertar.
Ensinem-me os piores vícios, para que eu saiba evita-los. Se não souber de seus malefícios, se não souber como e o que são, não estarei preparado para resistir às tentações.
Ensinem-me a arte do bem viver agora, para que eu não chore amanhã, e nem te faça chorar, depois que coisas irremediáveis acontecerem.
Não esperem que eu fique para sempre junto de voces, pois sou a flecha que vão atirar para o mundo. Se me colocarem no rumo certo, atingirei um bom alvo.
Certamente é o que Julio diria a eles, é o que todo aquele que vai nascer quer dizer a seus Pais.
 

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados