ERA UMA VEZ ALGUÉM NAQUELE LAGO AZUL

 


ERA UMA VEZ ALGUÉM NAQUELE LAGO AZUL
Marcial Salaverry
 
Por vezes, tomamos conhecimento de algmas histórias tão lindas, que até parecem ficção, tão romanticas, tão irreais dentro de sua realidade, como esta, envolvendo duas pessoas cujo amor de tão intenso parece superar distancias e obstáculos, para realizar o sonho de viverem um amor impossível, num lugar estranhamente sonhado por ambos...
Esmeralda vive no sul, Milton vive no norte. Mas a distância não impediu que o amor nascesse e florescesse. Conheceram-se via Internet, numa dessas salas de chat que existem pela aí...
O certo é que Esmeralda se sentia muito sozinha e desencantada da vida. A ela lhe parecia tão impossível ser feliz, que chegou a pensar fazer uma loucura, devido  falta de compreensão de seu parceiro, que não lhe dava a atenção devida. Era incapaz de um gesto de carinho. Aos poucos viu ir morrendo o amor que a tinha levado ao casamento.
Movida pela tristeza, estava desistindo de viver, mas ela tinha duas criaturas lindas e que precisavam dela.
Ter essa consciencia, a deixava ainda mais desnorteada. Apesar de sentir que não poderia abandonar seus filhos, embora já estivessem crescidos e caminhando pelas próprias pernas, e a verdade era que não se sentia com forças e sem a mínima vontade de lutar.
Foi quando resolveu buscar uma luz no mundo virtual, onde não conhecia nada, mas foi lá que encontrou essa luz, como que vinda do céu. Essa luz foi Milton. Alguém que sabia como conversar com ela, como tratá-la, fazendo com que Esmeralda se sentisse gente. Sentiu que ainda estava viva, e que poderia ter direito à felicidade e ao amor.
 
Em uma das conversas falou-lhe de um sonho que por diversas tivera em seu sono, quando encontrava o amor às margens de um lago de águas incrivelmente azuis.
Do outro lado, Milton quase deu um grito de surpresa, dizendo que tivera esse sonho também, chegando a descrever ser um lago como aquele do filme Lagoa Azul, e que ele estava nadando em suas águas, e viu que alguém o chamava às margens do lago, e quando estava para lá se dirigindo, acordou...
 
Essa coincidencia incrivel, mais os uniu, mais fortaleceu o desejo de se verem, mas teria de ser "NESSE" lago, cujo local ambos desconheciam...
 
Para ela, Milton tinha algo especial, parecia mesmo que ele estava falando diretamente com seu coração,  parecia que já o conhecia de longa data, eis que desde o início, ele sempre trazia surpresas enormes para ela, com sua atenção e seu carinho, o que ela jamais poderia esperar de alguém que sequer vira na vida, e a cada diz mais desejava encontrá-lo, e ficava procurando onde seria esse lago azul de seus sonhos, e assim, Milton parecia mesmo ter o poder de transformar o sonho em realidade.
E ela foi se notando compreendida, foi querendo que o tempo ao lado dele fosse cada vez mais esticado, e tudo acontecia de um jeito natural, que ela nem conseguia mais se lembrar daqueles momentos que se encontrava cheio de incertezas, e assim foi aprendendo a viver...
Contudo, o tempo foi passando e esse lago nunca foi encontrado, e de repente Milton parou de escrever, e ela ficou sem saber o que poderia ter acontecido. Imaginou que ele teria encontrado o lago, e nele se afogara procurando por ela. E assim, nesse imaginário lago azul, ela também afogou seus sonhos.  E caindo na real, algo aprendeu com as conversas que tivera com Milton, e decidiu separar-se de seu marido e foi em busca de seu lago azul, mesmo sem saber como será seu futuro, e o que ela sabe, e de uma forma bem definitiva, é que não importa como as coisas vão ser daqui pra frente, pois ele fez um lindo papel em sua vida. E algo muito forte afirma que essa historia vai continuar sendo escrita, que é muito cedo para dizer tudo, e certamente ela vai encontrar seu lago sonhado...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados