EXISTEM DIVERSAS FORMAS DE AMOR

 

Por que será que às vezes, é tão dificil entender quando somos amados?
E também que amamos?
Amores existem diversos... Controversos... E até perversos...
E também, de versos...
Osculos e amplexos,
Marcial

EXISTEM DIVERSAS FORMAS DE AMOR
Marcial Salaverry

Algo que é preciso entender, é que, com certeza existem diversas formas de amor, e isso se pode entender, ao percerbermos o fato do amor ser um sentimento jamais explicado. Poetas, escritores, já o tentaram, mas nunca poderá haver uma consonância de idéias, pois cada pessoa sente o amor de uma maneira, dentro das diversas formas de amor, e muito já se falou sobre a variedade dessa coisinha complicada, com um nome tão curto, mas um significado tão grande, e tão indispensável a todos.
Numa rápida recapitulação, podemos citar: Amor filial, maternal, paternal, fraternal, passional, total, amorzade, virtual, e mais não sei o qual, e existe tambem um certo tipo, que pode ser chamado de amor mal compreendido, que é mais uma novidade, e que ocorre com uma frequencia tão grande, que chega até a assustar, e o interessante, é que geralmente quem está de fora é que percebe quando ocorre, porque os principais interessados nem sempre notam essa incompreensão, que, como erva daninha, introduz-se num relacionamento e o vai corroendo, até nada mais restar, além de um amor muito grande e inteiramente desperdiçado, porque os parceiros não souberam entendê-lo e vivê-lo.
De Gabriel Garcia Marquez encontramos uma mensagem maravilhosa sobre essa forma de se perder um amor:
"Só porque alguém não te ama como você quer, não  significa que este alguém não te ame com todo o seu  ser."
Essa frase é de uma profundidade mais do que real, e é exatamente o que gera essa incompreensão para certos amores, e que chega a encerrar muitos romances que poderiam ter sido lindos demais.  Felizmente, por vezes acontece, digamos com a velocidade de um teclado voador, que essa situação seja esclarecida antes que o irremediável aconteça.
O que ocorre por vezes, é que um dos parceiros tem uma idéia mais pragmática do amor. Em sua concepção, basta dedicar-se ao parceiro, provê-lo em suas necessidades mais materiais, dar-lhe respeito, fidelidade, e pronto. Nem sempre ouvimos nosso amor dizer que nos ama. Embora não o diga, devemos saber "sentir" que somos amados, pois o fato de não dizer, nem sempre significa que não ama...
Mas o amor existe, apenas não é demonstrado em carinhos, carícias mais ardentes, com mais romance. Pensa-se que, com a idade tais arroubos não mais são necessários.
Fica faltando aquele amor mais quente, de mais romance, que o outro lado quer e procura, mas nem sempre é recebido, devido a certas coisas "que precisam ser feitas". E o sexo vai ficando para trás. 
Começam assim,  os 'amores mal compreendidos".  Ele existe.  Ambos se amam.  Apenas não existe a "explicitidade" . Acontece uma falha de comunicação. Um não sabe dizer o que deseja, e o outro não consegue transmitir o que realmente sente. O amor está lá, latente, forte mesmo, mas não é enxergado, não é entendido por nenhuma das partes.  Esse é o caminho mais curto para o fim desse amor, principalmente se uma das partes acaba encontrando outro alguém que lhe acena com uma vida cheia de carinhos e delícias.
Muitas vezes essa comunicação, esclarecendo que o amor ainda está lá,  não acontece, e duas pessoas que se amam acabam se separando, provocando assim a infelicidade deles, e de mais quem esteja envolvido.  Pois se o seu coração ama alguém, não poderá ser feliz ao lado de outra pessoa.  Principalmente esse amor que vem de anos de vida em comum, e justamente por isso sempre vale aquela tentativa de um "acerto de contas", que deve acontecer.
Contudo, esse amor que estava encruado, de tão forte que na realidade é, acaba explodindo na hora decisiva, quando o rompimento é iminente.  E esse amor descoberto é o que de melhor pode acontecer, pois ele se revela em toda sua pujança, revigorando ambos os corações e os sentimentos.
Não é muito fácil ocorrer, pois é necessário que ambos os lados passem por cima de muitas coisas, de conversas escutadas, de coisas lidas, de coisas amargas que foram ditas, mas, havendo o amor," tudo vale a pena, quando a alma não é pequena"... Ela cresce, supera obstáculos. 
Houve enfim, o entendimento, e assim a incompreensão foi deixada de lado. As arestas que existiam foram superadas, e o amor deixa de ser um dos "amores incompreendidos", para ser um amor a ser vivido em toda sua beleza e  plenitude.
Por vezes amores são encontrados, ou reencontrados no ocaso da vida, e contrariamente ao que muitos pensam, também se pode amar com toda a plenitude mesmo nessa altura do campeonato. Apenas é preciso saber compreender esse amor. Não podemos ser exigentes em demasia, afinal, existe uma vida para trás. Temos que aceitar as limitações que a vida, ela mesma, nos impõe, e viver esse amor como for possivel vive-lo. 
O importante é saber que ama, e que se é amado. Seja um amor físico, seja um amor etérico... O que conta é que existe o amor...
Assim é o amor, todo ele feito de compreensão, de respeito aos sentimentos, de um constante tirar de dúvidas, de muito diálogo, de entendimento e bom senso, que são coisas que jamais poderão faltar, para que o amor sobreviva às intempéries da vida, e principalmente, com uma dose muito grande de carinho e compreensão.  Há que saber entender e aceitar certas limitações para viver esse amor.
Esperando ser lido com isenção de ânimo, e que todos consigam ter essa compreensão sobre maneiras de se amar, desejo UM LINDO DIA.
___________________


"Amor mal compreendido,
Amor perdido...
Por que não tentar entendê-lo?

Marcial Salaverry"
 

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados