JANELA ABERTA PARA O AMOR

 

JANELA ABERTA PARA O AMOR
Marcial Salaverry
 
Uma janela sempre traz recordações de algo que ficou para trás, fatos que marcaram nossa vida, e como é importante saber controlar a janela de nossa vida...
Devemos abri-la para as boas recordações, e para o que de bom nos aconteceu, fechando-a para o que de triste ocorreu, ou que se avizinha...
Janela aberta para o amor, e fechada para a dor...
Já houve tempo em que a jovem ficava romanticamente na janela, e seu enamorado (lindo o termo) ficava fazendo lindas serenatas. Época essencialmente romântica.  Quando o rapaz conseguia tocar nas mãos da jovem, era uma glória, e sempre se conseguia começar aquele namoro, em que já era permitido pegar-se nas mãos, podia até roubar um beijinho.  Emoção suprema.  Um beijinho à socapa. Se o papai ou a mamãe vissem, aquela janela permaneceria para sempre fechada...

Depois, com os prédios de apartamento, as janelas ficaram muito longe da calçada, e só servia para saber se tinha alguem em casa...

O namoro evoluiu muito com o tempo, e logo chegou-se a um estágio mais avançado.  Já se permitia que o romântico casalzinho saísse sem ter de levar o irmão menor para ir ao cinema. Ou mesmo um passeio diferente. 

Outrora, usavam-se os bancos traseiros dos carros, ou os “Drive-In”, mas agora, de nada disso se tem necessidade...

Os tempos mudaram bastante, e o namoro evoluiu para um estágio que não "fica" bem falar... e assim,  a janela foi posta de lado, mas quem viveu essa época tão romantica, sempre sente aquela saudadinha de um tempo bom, quando a conquista para um namoro exigia muita criatividade...

Desde priscas eras, namorar sempre foi ótimo...

 

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados