SABER VIVER

 

Parece que é fácil o "saber viver". Basta não morrer.

Contudo, existe uma grande diferença entre "saber viver", e simplesmente "estar vivo".

"Estar vivo", é ocupar um lugar no mundo, é permanecer respirando, é estar andando por aí, circulando entre as pessoas, tendo presença entre seus semelhantes.

"Saber viver", é na verdade, tirar proveito da vida. É marcar sua passagem, fazendo com que as pessoas sempre se lembrem com saudade de você. Aquela saudade boa, que uma pessoa que sempre procurou fazer o bem deixa.

"Saber viver", igualmente, é procurar as coisas boas da vida, e desfrutá-las. O que são as coisas boas da vida? Ora, aquelas que nos dão prazer, que são aproveitadas com a alma e o coração em paz. Desde um simples apreciar do por ou nascer do sol, ou então simplesmente olhar o mar, ou o verde das montanhas, até uma viagem em um transatlântico de luxo... Pequenas coisas para grandes prazeres.

Enfim, o que pode nos dar prazer sem que estejamos fazendo mal a outros.

Existem pessoas que se preocupam mais em prejudicar outras pessoas, do que viver a própria vida. Esse é um prazer nocivo, que não representa "saber viver".

Meu grande amigo Oscar Wilde, deixou uma citação que vem a calhar:

" Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe."

E que grande verdade é essa.

Infelizmente hoje em dia nem todo o mundo tem aquele pensamento do tipo: se não posso ajudar, não vou atrapalhar.... Parece que o lema que manda que "nos ajudemos uns aos outros", está sendo substituído por "nos ferremos uns aos outros". E isso não é bom...

Sempre que alguém nos magoa, penso que devemos saber os motivos de tal atitude. Se houver uma explicação, ouçamo-la. Se não houver, é porque essa outra pessoa está mal intencionada. Nesse caso, o melhor é esquecer que ela existe, e ponto final.

Existem diversas maneiras para acalmar o espírito, que ajuda a esquecer eventuais mágoas e encontrar soluções.

Em casos de problemas desse gênero, não há nada melhor do que uma boa reflexão, fazendo o que mais lhe der prazer. Uma caminhada pela praia, ou pelo campo, deixando o pensamento fluir à vontade... ou então simplesmente apreciar o sol nascendo ou se pondo (coisa mais linda não há). O simples tamborilar da chuva, seja nas árvores ou nos telhados, também ajuda a meditar. Uma boa música relaxante. São pequenas coisas que trazem grandes resultados. O importante é dar uma ducha de água fria na raiva, esta, além de nos incitar a fazer mal a outrem, também nos faz mal à saúde, nos estressa...

Relaxemo-nos pois.

Pensamentos positivos também ajudam. Rever erros passados e corrigi-los. Fazer uma viagem. Pegar uma estrada, procurar um lugar bonito e parar um pouco. Um banho de cachoeira. Um bom filme com um saco de pipocas. Uma paquera (não há coisa melhor para desanuviar o espírito do que uma paquera sem compromisso...). Inclusive sempre precisamos testar nosso poder de sedução... e até isto, só funciona se estivermos "de bem" conosco e com o mundo.

Como vemos, é muito fácil "saber viver". Basta "querer" viver. E, "conditio sine qua non", para isso, é "deixar viver". Deixando que os outros vivam em paz, é meio caminho andado para que nossa existência também transcorra bem. É lícito pensar que o maior objetivo para qualquer pessoa normal é ter uma vida tranquila e sossegada, que se consegue muito facilmente, procurando atrair simpatias, ao invés de antipatias, amor ao invés de ódio (palavrinha feia esta).

"Viver... e não ter a vergonha de ser feliz..." Grande Gonzaguinha!!! É o melhor conselho que se pode dar para alguém...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados