LEVADOS PELO MAR

 

LEVADOS PELO MAR
Marcial Salaverry
 
Carlo e Carla, além da coincidencia de nomes, sentiram uma forte atração, mas as familias eram inimigas e não viam o romance com bons olhos.
Indiferentes às quizilias familiares, descobriram que amavam igualmente o mar, e resolveram curtir um belo passeio de barco, mas foram colhidos por uma tempestade, e o barco naufragou...
Depois do naufrágio, conseguiram chegar a uma ilhota no meio do nada, e sentiram-se perdidos na ilha deserta, sem saber como dela sair, e sentiram-se desesperados, como vivendo um pesadelo...
Contudo, o que em principio era um triste pesadelo, acabou se transformando em doce sonho, depois que chegaram à conclusão de que juntos, o ato de se deitar na cálida areia, não serviria apenas para
os corpos cansados descansar e os corpos encostados para se aquecer, entenderam que amando-se seria mais agradável passar o tempo, e poderia melhor desfrutar o presente que o mar lhes propiciou, pois poderiam se amar em paz, longe de impedimentos familiares.
Depois de muito se amarem, quedaram-se absortos olhando as marcas  deixadas na areia pelos corpos, e apreciando o voo das gaivotas,
ficaram acompanhando o vaivem das ondas, lembrando o vaivem dos corpos, que ficaram marcados na areia macia, adormeceram ouvindo o suave marulhar...
Despertados pelo gostoso odor da maresia, enquanto soprava a matinal brisa suave, resolveram curtir bem o presente que o amigo mar lhes proporcionou.
Depois do amor, a paz sentida, apenas esperando a chegada do arrebol, vivendo gostosas horas ociosas, não se importando se seriam ou não resgatados da ilha perdida, sem qualquer preocupação com o que lhes reservava o Destino, apenas vivendo do amor, um doce desatino...
O mar soube como fazer para unir os amantes...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados