SABENDO SENTIR A ALEGRIA DE ESTAR VIVO

 

A vida perde toda a graça, se perdermos
a alegria de viver. Saiba portanto mante-la.
Tanto a vida, como a alegria de vive-la...
E assim, encontrar a felicidade...
Osculos e amplexos,
Marcial

SABENDO SENTIR A ALEGRIA DE ESTAR VIVO
Marcial Salaverry

Para sentir a alegria de estar vivo, a condição principal, é estar vivo claro, e de preferencia com saude, e se tiver um bom saldo bancário, melhor ainda, e assim deduz-se que a alegria de viver, com toda certeza,  é um dos atributos para que se possa atingir a felicidade. Portanto, é algo que sempre devemos manter, por pior que as coisas fiquem. Não é atoa que existe um velho ditado que diz que "tristezas não pagam dívidas", sendo assim, para que conservá-las? Tanto as dívidas quanto as tristezas devem ser superadas...
Em ocasiões de crise, seja econômica, sentimental ou de vergonha, não devemos  nos entregar ao desespero, pois assim, tudo só tenderá a piorar. Mantendo-se uma certa dose de otimismo, de tranquilidade, e principalmente com alegria interior, as soluções serão mais fáceis de ser encontradase se não o forem, pelo menos irá suavizar o que está acontecendo...
Meu grande amigo L’Inconnu brindou-me com uma pérola que se aplica bem ao tema, vejam só:
"Não importa se a estação do ano muda, se o século vira e se o milênio é outro, se problemas surgem, se a idade aumenta, conserve a vontade de viver; não se chega à parte alguma sem ela."
Efetivamente, a vontade, a alegria de viver é algo que nunca poderemos perder. Nunca deveremos nos entregar ao desespero, ao desalento, achando que tudo está perdido, mesmo que esteja. Se não houver nenhuma possibilidade de se reverter uma situação, mantendo-se o sangue frio, a vontade de superação, encontraremos pelo menos uma maneira de diminuir o impacto do golpe. Não resolve uma situação "bananosa", mas ajuda a aceitá-la melhor.
Se o problema for financeiro, ou uma crise familiar, é impensável entregar-se os pontos, e nesse caso então, é necessário que se esgotem todos os recursos possíveis e imaginários. Alguma idéia acaba surgindo, algum jeito pode ser dado. Lógico que cada caso é um caso, e não podemos prever que tipo de soluções podem ser encontradas, mas estas só surgirão, se mantivermos as idéias em ordem e, pelo menos um pensamento positivo voltado para a solução do problema. É algo que sempre depende da ocasião, mas, uma coisa é certa, entregando-se ao desespero ou, como muita gente faz, à bebida "para esquecer" os problemas, é que as coisas se complicam, pois ao problema ainda insolúvel, ainda teremos que curtir uma bela ressaca... Aliás, bebida nunca foi solução para crise alguma, a não ser para os fabricantes.
Se o problema for de ordem, sentimental então, é que nunca poderemos esquecer de nosso querido L’Inconnu, pois sem a vontade de viver não chegaremos a parte alguma, nem conseguiremos resolver nada, e se  "aquele certo alguém" que tanto queríamos a nosso lado não podemos mais ter, seja por qual motivo for, será melhor  esquecê-lo e partir para outro.
É complicado, porque você amava demais? E que adianta ficar chorando pelos cantos e esmurrando as paredes, ou pior, "encher o carão’ num boteco qualquer, para esquecer aquele alguém que não mais te quer. Além de não conseguir a reconquista, ainda vai ter que segurar uma ressaca complicada. Problema duplicado.
Ora, mantendo o espírito em alta, mantendo a alegria de viver, poderemos mostrar ao mundo que estamos vivos, e portanto em condições de encontrar outro alguém que nos complete e que possa nos fazer feliz. O mais importante é o fato de estarmos vivos e portanto em condições de nos refazer da crise...
É justamente nas ocasiões de crise,  que poderemos justificar nossa presença no mundo. Sabendo superar as dificuldades, poderemos mostrar nosso real valor. Principalmente para nossa satisfação interior, nunca poderemos perder a alegria de viver.
Mesmo que não consigamos a solução para a crise e ela nos vença, pelo menos conseguimos manter nosso ânimo em pé, e fizemos tudo que era possível para tentar contornar a situação, e não entregamos os pontos logo no início, ou que seja no meio. Soubemos chegar com dignidade ao fim da linha, podendo assim, com toda certeza, ter UM LINDO DIA.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados