SEMPRE ESPERANDO POR SEU AMOR

 

SEMPRE ESPERANDO POR SEU AMOR
Marcial Salaverry
 
Giulio e Giuliana, viviam um amor proibido, pois ambos eram casados, e o amor surgiu através de encontros fortuitos, de uma maneira repentina, sem que nenhum deles estivesse em busca de aventuras, e tudo nasceu de uma troca de olhares, um roçar de mãos, uma valsa bailada em sonhadores rodopios.
Viveram intensamente esse romance que, por ser proibido, fatalmente teria um fim brusco.
Giulio foi chamado pela familia para assumir elevado cargo em um País distante, e tiveram de se separar. e então passaram uma uma última noite amando-se como só aqueles que se amam de verdade sabem amar.
Giuliana não viu quando Giulio a deixou no leito de amor, e, ao despertar, ainda sentindo a presença de seu amor ausente, a amante chora a ausencia do amante amado, com as lágrimas correndo mansamente por seu belo rosto.
Quando foi beijar o travesseiro que ainda tinha o cheiro de seu amor, viu o bilhete que ele lhe deixara, e chorou de saudade na emoção de ler o que ele deixara escrito, onde pedia que o esperasse pois um dia voltaria, pelo menos assim o esperava...

Giuliana perguntou-se porque ele teria deixado essa carta com as lágrimas correndo pelo seu rosto, pois Giulio lhe havia dito que seria uma viagem que levaria algum tempo, sem dizer que seria uma separação definitiva.
E desde esse dia, ei-la sempre esperando por seu amado, com a tristeza da quase certeza de que Giulio não voltará, mas ela não desiste, e ainda o espera...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados