DÚVIDAS EXISTENCIAIS

 

"Muitas vezes são as dúvidas traidoras que nos fazem perder o bem que nosso talvez fosse, se o receio de tentar não existisse..."

Nunca é demais repetir as palavras de nosso jovem amigo Shakespeare, pois houve uma certa polêmica.

Claro, algo falando sobre dúvidas, fatalmente teria que provocar algumas...

Muitas vezes nos vemos diante de uma encruzilhada, numa terrível dúvida, sobre qual caminho seguir. Num caso desses, dificilmente escolheremos o caminho mais difícil... nossa tendência, será optar pelo que se apresenta mais fácil, e nem sempre esse é o ideal.

Essas dúvidas, que nos fazem procurar o caminho que nos faça correr menos riscos, faz com que deixemos de abrir a porta para a felicidade entrar. Quantas e quantas vezes deixamos de abrir a porta, apenas pelo receio de tentar algo diferente, receio de nos desestruturarmos, de encarar algo novo, uma mudança, ou mesmo aquilo que nos seja desconhecido.

De fato, esse medo nos faz perder grandes coisas. Mas nunca é fácil mexer-se com algo que vem bem estruturado, estabilizado. Realmente, isso é complicado.

É aquele velho chavão, de que nunca se deve trocar o certo pelo incerto, ou o seguro pelo inseguro.

Essa dúvida muitas vezes nos faz permanecer na mesmice, levando-nos a não aceitar novos desafios, que talvez nos trouxessem algum crescimento, mas iria exigir algumas mudanças.

Por vezes, teríamos inclusive, que reorganizar nossa vida. Talvez fosse nos obrigar a certas renúncias em nosso modus vivendi. Claro que tais mudanças radicais, temos receio de encarar. É normal, pois isso exigiria, muitas vezes começar tudo de novo, com algo que se nos afigura incerto, e sem as seguranças já adquiridas.

Nunca é fácil um recomeço. Mas, por vezes esse é o caminho. Aquele que vínhamos trilhando já se mostra desgastado. Só temos que saber pesar bem os prós e os contras, para saber tomar a decisão correta.

Nunca se devem fazer mudanças radicais, sem um bom estudo da famosa lei das probabilidades. Mas nunca é tarde para mudanças radicais, desde que elas se revelem profícuas. E uma vez que a decisão for tomada, é atirar-se a ela sem mais hesitações, para não perder o bonde da história.

Como experiência pessoal, posso dizer que já mudei tudo e recomecei minha vida diversas vezes. Sendo que em algumas me saí bem, mas em outras não, quando não soube avaliar bem a situação, mas sempre foram experiências de vida... e muito válidas.

Nunca tive tempo para me arrepender ou não de algumas delas, pois o arrependimento é difícil de ser admitido. Cheguei a me arrepender, algumas vezes, por não ter tomado uma decisão, ou por ter demorado a tomá-la.

Destino.. livre arbítrio, escolha... bonitas palavras, que dão mesmo muito em que pensar. A vivência nos vai ensinando a viver, desde que saibamos aproveitar as lições que ela vai nos deixando.

Para chegar a um estágio ideal, apanha-se bastante...e ainda depois, continua-se apanhando, pois nascemos, vivemos e morremos, sempre aprendendo algo...

Quando tais dúvidas surgem em nossa vida amorosa, penso que a linha de conduta deve ser a mesma. Se um relacionamento estiver desgastado, e chegar-se à conclusão de que não tem mais jeito, o ideal mesmo é partir-se prá outro. Mas é claro, antes de uma medida radical, há que se pensar e analisar bem a situação, para ver se realmente a solução é essa. Quantas vezes um bom diálogo, um bom acerto de contas endireita situações que estavam tortas...

 

O aluno chega no meio da aula:- Desculpe o atraso professora! - Atrasado novamente, não é? É sempre assim: se não chega atrasado às aulas, falta. O que pretende ser se comportando desse jeito?- Deputado, professora!

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados