QUANDO CHEGAMOS À MATURIDADE

 

E assim chegamos à maturidade, mas será que estamos
realmente maduros?
Será que estamos prontos para viver com felicidade?
Vamos pensar nisso, e vamos aproveitar a mensagem que nos foi deixada pela sempre querida Madre Teresa de Calcutá...
Ósculos e amplexos,
Marcial

QUANDO CHEGAMOS À MATURIDADE
Marcial Salaverry
 
Com toda certeza é muito bom descobrir que estamos chegando na maturidade, pois  se isso acontece, é porque ainda estamos vivos, e porque  já temos um bocado de experiência de vida. Algumas foram boas, outras nem tanto, pois é evidente que já demos algumas cabeçadas, e portanto deveríamos ter aprendido algo com o que foi vivido. É o que geralmente deveria suceder, porém nem sempre é o que acontece.  Podemos dizer que nem sempre essas muitas lições são assimiladas, pois nem todos aprenderam a analisar sobre os erros cometidos, para evitar repeti-los.

Um dos pontos onde as lições da vida não são captadas mesmo, é no que diz respeito ao ponto mais delicado, ou seja, os relacionamentos familiares.
Muitas vezes permitimos que um relacionamento de toda uma vida se deteriore no fim da caminhada, quando bastaria compreensão, afeto, companheirismo, ponderação para continuar vivendo juntos, e algo muito triste é  ver como casais se separam após 30, 40 ou mais anos de uma vida em comum, e a pergunta que não quer calar é indagarmos sobre o que poderá ter acontecido para que todo um passado, toda uma vida seja posta de lado, quais são os problemas que podem estar acontecendo para que apenas agora, nesta altura da vida, tais divergências sejam descobertas...

Certamente cada caso é um caso. Mas que todos merecem uma certa reflexão, é fato. Ainda mais que um comentário que se escuta é que “sempre vivemos bem... mas agora não dá mais”... o interessante, é que muitas vezes continuam amigos, mas a convivência não dá mais. É realmente difícil para entender.

Durante toda a vida, sempre aquele alguém ao lado era a presença desejada, os mesmos beijos, o mesmo carinho, aquele abraço de bom dia, com um jeito novo de fazer as mesmas coisas, e aquele desejo de  sempre dizer  " Para sempre, eu vou te amar!", e esse é o segredo para um relacionamento feliz.  Sempre procurando sentir algo de novo fazendo as mesmas coisas. Algo como o ovo de Colombo.  Sempre procurando buscar o lado bom das coisas, e à frase “Para sempre, eu vou te amar!” podemos acrescentar  “Te amo hoje, mais do que ontem, menos do que amanhã...”.

É evidente que para se obter tal resultado, é necessário que as duas partes colaborem. Nada pode ser conseguido unilateralmente. Acredito que nessa altura da vida, poderá ainda ser mais fácil haver um bom entendimento,  bastando um exercício de memória. Afinal sempre tiveram bons momentos juntos, e então, por que não relembrá-los?  Por que não repeti-los? Terminar juntos a caminhada que começaram e que fizeram lado a lado tanto tempo... Por que tomar rumos diferentes nesta altura da vida?  É preciso sempre analisar bem o que acontece.  Por vezes, pode ser a única solução possível para que se possa tomar um rumo certo na vida, quando acontece algum desentendimento sério, mas muitas vezes não é bem assim.  É só uma questão de se pensar, e conversar, manter um díálogo maduro, aparando algumas arestas, uma conversa tipo "hora da verdade", para que um possa dizer ao outro o que pode estar atrapalhando a convivencia. Muitas vezes um diálogo sincero faz com que as nuvens que surgiram se dissipem...

Também é importante saber usar de alguma criatividade para fazer as mesmas coisas de uma nova maneira. Se o sexo perdeu o interesse, por ter caído naquela mesmice, vamos inovar, vamos  fazer coisas diferentes, tentar  pensar em fantasias antigas, entendam que inovar o que se fazia mecanicamente pode dar resultados incríveis, sempre lembrando que qualquer hora é hora de buscar as coisas boas da vida, ora...

Pensem nisso, sempre lembrando que podemos fazer de cada dia sempre UM LINDO DIA, se fizermos algo para merece-lo...

"Mensaje para vivir

Madre Teresa de Calcuta
 
Siempre ten presente que:

La piel se arruga,
El pelo se vuelve blanco,
Los días se convierten en años...
Pero lo importante no cambia, tu fuerza
y tu convicción no tienen edad.

Tu espíritu es el plumero de cualquier tela de araña.
Detrás de cada línea de llegada, hay una de partida.
Detrás de cada logro, hay otro desafío.

Mientras estés vivo, siéntete vivo.
Si extrañas lo que hacías vuelve a hacerlo.
No vivas de fotos amarillas...
Sigue aunque todos esperen que abandones.
No dejes que se oxide el hierro que hay en ti.
Haz que en vez de lástima, te tengan respeto.

Cuando por los años no puedas correr, trota.
Cuando no puedas trotar, camina.
Cuando no puedas caminar, usa el bastón.

Pero ¡¡¡nunca te detengas!!!"
.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados