MULHER MADURA...A IDADE IDEAL

 

Existe algo de novo acontecendo. É um despertar para a vida que já não esperava observar. Trata-se do que vem acontecendo com as encantadoras componentes do sexo feminino atualmente. Principalmente as charmosas "mulheres maduras".

Simplesmente resolveram de vez despertar para a vida, e estão indo à luta, buscando desencavar sonhos antigos que viviam sufocados pelas "obrigações" de sua lida doméstica, e estão encantando a todos que tem o bom gosto de apreciar o fruto desse sonho agora realizado.

A propósito, recebi uma quadrinha muito apropriada que me foi enviada por uma nova amiga. É de autoria de Maria Carpi. Vejam:

"Aos 13 anos,

julguei-me semente antiga.

Agora, madura,

Não passo dos treze,

Árvore menina".

É exatamente esse o ponto. Árvore menina, não encontro melhor definição para a mulher madura de hoje. Tem a força e a garra de uma "árvore menina", ao mesmo tempo que tem a condição de dar sombra, proteção e amparo para quem dela depender.

Essa mulher madura hoje, quando em seus treze anos tinha perspectivas sombrias de vida. Era preparada apenas para ser "dona de casa". Então já se julgava semente antiga, pois tudo já estava traçado. Crescer. Casar. Cuidar da casa, dos filhos e do marido. Ponto final.

Contudo, estão agora descobrindo que são "árvore menina". Que ainda podem e devem fazer muita coisa. Que tem todo o direito de descobrir que são poetas, escritoras, pintoras, artistas enfim. Se a maturidade lhes corta de certa forma um eventual progresso profissional, só lhes falta descobrir os pendores artísticos. Para a arte não existe idade.

Sempre serão "árvore menina" desde que descubram isso em seu interior.

Enfim, esse "despertar para a vida" tem apresentado resultados simplesmente maravilhosos.

Que talentos estavam deitados eternamente em berços esplendidos. Quanta beleza guardada em "fundo de baú"... Felizmente as "árvores menina" estão desabrochando e nos brindando com seus frutos, e que frutos deliciosos...

Também estão descobrindo algo que ficou muito tempo sufocado... a sexualidade.

Uma coisa que parece estranho para os jovens de hoje, era a coisa mais comum algumas décadas atrás. O grande tabu chamado SEXO.

As jovens da época desconheciam o prazer sexual. Era-lhes passada a idéia pura e simples de que o sexo era pecado, e só deveria ser usado com a finalidade reprodutiva.

Tal educação (ou seria melhor dizer "deseducação") provocou inibições que perduram até hoje. Só que agora elas estão descobrindo e cobrando sua parte. Sabem que tem direito a isso que lhes foi proibido por muito tempo, e estão descobrindo a sensualidade e a sexualidade que ficou adormecida tanto tempo.

Em alguns casos, essa nova tomada de posição assusta os companheiros, e causa problemas de relacionamento. Eles que estavam acostumados a ver suas companheiras apenas como donas de casa assexuadas, não sabem como proceder e daí... surgem alguns desentendimentos, que podem ser acertados com um bom diálogo. Se houver interesse e possibilidade de ambas as partes para esse diálogo, é claro.

Para encerrar, uma palavra especialmente dedicada às poetas que me tem enviado suas poesias. A elas, meu muito obrigado e a certeza de que as palavras com que comento seu trabalho são absolutamente sinceras.

Adoro degustar o sabor dos frutos dessas "árvores menina".

 

Psiquiatra ao paciente: Costuma ouvir vozes sem saber quem está falando, ou de onde vêm? Ante a resposta afirmativa, perguntou quando é que acontecia. E o paciente responde: Bem... quando atendo ao telefone...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados