A ETERNA INFÂNCIA

 

O MUNDO FICOU MAIS TRISTE. MUITA SAUDADE DE JORGE AMADO O GRANDE MESTRE. QUE ACIMA DE TUDO NOS ENSINOU O QUE É ALEGRIA DE VIVER. ELE SE FOI MAS A VIDA CONTINUA... MAIS TRISTE SEM JORGE AMADO... MAS CONTINUA... ADEUS AMADO JORGE.

Uma coisa interessante. Apesar de ser um povo novo, quase sem tradições, os chineses conseguem ter alguns (poucos, é certo) provérbios interessantes, como este aqui:

O grande homem é aquele que não perdeu a candura de sua infância.

Esta é uma grande verdade, pois o que realmente estraga a vida de muita gente, é esquecer totalmente que um dia foi uma criança livre de preconceitos, inibições, sem se preocupar com a famosa frase: "não faz assim, não fica bem, você não é mais criança"...

Ora, crianças fomos, e crianças sempre seremos.

A única diferença é que, quando somos fisicamente crianças, agimos com naturalidade sem aquela preocupação do "fica ou não fica bem". Quer coisa mais linda e espontânea do que o sorriso de uma criança feliz ? Não é aquele sorriso estereotipado como, por exemplo, o sorriso dos praticantes de aeróbica, que estão fazendo os exercícios com um p... esforço, estampando aquele sorrisinho forçado e ridículo (porque senão perdem pontos).

Mais ainda, o sorriso que temos que dar quando o chefe conta aquela piada velha e besta que sempre contou. E vai por aí afora. As crianças não. Somente sorriem, quando estão com vontade. Por vezes, as crianças são forçadas a agir contra sua natureza, e isso vai provocando danos em sua personalidade futura, formando aquele adulto cheio de traumas e preconceitos.

Agora uma coisa é certa, as crianças não sabem ainda observar os limites, aquela velha máxima, "de que seu direito termina onde começa o meu, e vice-versa". Isto sim, tem que lhes ser ensinado, para que não sejam aquelas detestáveis crianças birrentas e cheias de vontades e exigências, que quando chegam perto de nós, somos obrigados a avisar: se morder, eu chuto...

Os limites sempre devem ser mostrados às crianças, para que elas saibam até onde podem chegar sem serem inconvenientes. Crianças mimadas ou super protegidas também transformam-se em adultos problemáticos.

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra... Nem a disciplina militar, nem a liberalidade excessiva. A medida certa é a liberdade vigiada, o meio termo ideal, para que não percam a espontaneidade natural, nem se transformem naquelas crianças chatas e impertinentes que se acham com todos os direitos do mundo, sem nenhuma obrigação.

Mas isto é uma outra história, que fica para uma outra vez...

Do que estávamos falando mesmo? Ah!!! do quanto é bom conservarmos, com a sabedoria da idade, o espírito infantil de alegria e descontração. Realmente, dosando-se adequadamente as coisas, tornamos nossa vida muito agradável e gostosa de ser vivida, e ainda sobra tempo e disposição para transmitir um pouco dessa alegria aos que estão à nossa volta.

Conservar algo da infância, não tenham dúvidas, faz muito bem para o espírito, prolonga a vida (sim, é isso que eu quero dizer: vocês vão ter que me engolir, parafraseando, não sei bem se Zagalo ou Clinton...). Essa alegria e vontade de viver, faz com que vivamos até morrer... podem acreditar.

 

E aquele marido surpreendido quando falava com o retrato da esposa, ao ser indagado se falava com o retrato por ela estar viajando, e ele estar com saudade, respondeu: não, ela está em casa... é que o retrato não responde, e eu posso falar o que quero...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados