AFINIDADES

 

Muitas vezes perguntam o que vem a ser "Afinidades".

Afinidade é um sentimento de difícil explicação. Vamos tentar chegar a algum lugar.

Coisas curiosas às vezes acontecem com a gente. Vocês já notaram que, com muita freqüência encontramos ou só conhecemos, mesmo sem encontrar, pessoas que nos despertam de imediato uma grande simpatia e, por vezes uma grande antipatia ? Perguntamo-nos o porquê disso. Sim, não deixa de ser estranho tal fato.

O normal seria simplesmente aguardar os acontecimentos para saber se essa pessoa, por suas atitudes futuras pode ou não merecer nossa amizade. Mas...à primeira vista ? A única explicação que encontro, por vezes não tem concordância de muita gente.

Trata-se pura e simplesmente de reencontro de vidas passadas, com as cobranças e resgates naturais de embates anteriores. E isso ocorre com muita frequencia.

Puxem pela memória e vejam quantas vezes vocês já tiveram essa experiência. Aquela sensação de, à primeira vista, pensar que determinada pessoa pode ou não ser uma pessoa confiável, de quem nós iremos gostar, ou não.

Algumas vezes essa primeira impressão é errônea, mas é a que prevalece até que tenhamos provas contrárias.

Vamos tentar definir o que vem a ser essa Afinidade.

Pode não ser o mais brilhante, mas é o mais sutil, delicado e penetrante dos sentimentos.

Não importa o tempo, a ausência, a distância, pois, em caso de afastamento, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto, no exato ponto onde foi interrompido. Parece, na verdade, não ter o sentido do tempo.

É muito raro manifestar-se, mas quando ela existe, não é necessária a criação de códigos verbais para se manifestar, pois, na verdade, ela já existia antes mesmo do conhecimento, e permanece ainda que as pessoas se afastem. É o caso daquelas "presenças ausentes", pois mesmo que os amigos estejam longe ou afastados, sempre são lembrados.

Quem não tem aquela amizade inesquecível? Aquela pessoa que mesmo longe, sempre é lembrada com saudades, devido à grande semelhança de pensamentos, idéias, sentimentos. Mesmo longe, sentimos a presença.

Sentimos simplesmente. Nem contra, nem a favor, muito pelo contrário. Sentimos a presença, sem ter necessidade de explicar o que estamos sentindo. É olhar e perceber.

Sem dúvida, é um sentimento singular, discreto e independente. A presença pode ser detectada a quilômetros de distância, mas é percebida pela maneira de falar, de escrever, de andar, de respirar... Enfim... Está sem estar.

Quando existe uma afinidade, a relação é retomada no tempo em que parou, pois ela é atemporal. A amizade pode ser destruída por muitas coisas, muitas mágoas, mas a afinidade a tudo resiste. As pessoas sentem esse sentimento, porque ele existe, e não buscam explicações.

Procuramos motivos para sermos amigos de alguém, e o primeiro dos quais, é se existe alguma afinidade entre nós. Então, para haver Amizade, é preciso que haja Afinidade.

Para que possamos amar alguém, então ela é imprescindível... Não podemos amar ninguém com que não tenhamos sentimentos "afínicos" (favor avisar o Aurélio... pode incluir). No caso de Amor, então, além da Afinidade, também há que existir a Amizade.

Em casos de separação prolongada, o amor pode desaparecer, amizades podem ser esquecidas, mas se existir Afinidade, o esquecimento não existe, porque para sua subsistência, basta a vida. A qualquer momento que se dê o reencontro, ele será gratificante, porque, tanto o tempo quanto a separação, na verdade nunca existiram. Foi apenas a oportunidade dada pelo tempo para que a maturação pudesse ocorrer e que cada pessoa pudesse sentir cada vez mais que realmente são "afínicas".

Resumindo tudo, Afinidade vem a ser a presença do ausente. Mesmo que não estejamos perto, assim nos sentimos, pois nossos sentimentos comungam, nossas idéias "batem", nossos pensamentos, enfim, são "Afínicos". Reside aí o princípio, meio e fim de lindas amizades.

 

Depois vem a triste história do cachorrinho que só tinha três pernas... cada vez que passava perto de um poste, levava um tombo...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados