ENTENDENDO A VIDA FELIZ

 

 Estando em Paz com nossa alma, poderemos ter uma vida feliz...
Osculos e amplexos,
Marcial
ENTENDENDO A VIDA FELIZ
Marcial Salaverry
Nem todos são capazes de entender que se pode encontrar a felicidade, e assim, podendo ter uma vida feliz, e costumam questionar a felicidade, dizendo não entender ser possível que, dentro da atual situação sócio econômica do País, alguém possa estar "vivendo bem a vida", ou mesmo que possa ter sempre um pensamento positivo e otimista, quando tudo em volta parece ruir, quando se fala em atentados a bombas, em sequestros, estupros, guerras, guerrilhas, corrupção, mensalão, e não sei mais que tragédias, além da ação nefasta dos politicos.
Para responder a tal questionamento,  em primeiro lugar, desejo salientar que nada disso ocorre por minha culpa. Tenho a consciência absolutamente tranquila, pois não faço parte de certos grupos que se dedicam a baderna, e tampouco que não tenho culpa de coisas que acontecem pelo mundo, como o caso da "vaca louca" por exemplo, e sequer do fato da vaca ter ficado louca. Bem, talvez saiba o porquê disso ter acontecido, e nesse caso,  tenha alguma responsabilidade, pois na última vez que estive frente a frente com uma simpática representante das ruminantes fêmeas (pode não ser politicamente correto chamá-la de "vaca"), indaguei quanto à possibilidade dela fornecer leite desnatado. Talvez a bichinha tenha enlouquecido aí...
Apesar do absurdo questionamento, vou tentar falar sério, e assim, acredito que a melhor maneira de se viver seja essa, ou seja, procurando dar um enfoque otimista aos problemas. Claro que enfrento certas dificuldades. Afinal, sou mais um entre os aposentados que o INSS fica torcendo para ver no obituário. Se depender de mim, vai demorar muito para acontecer.
O segredo está em viver dentro das possibilidades, procurar se adequar à situação, tentar fazer alguma coisa para melhorar. Uma coisa é certa, ficar de mau humor, e viver preocupado com a flexibilidade do rabo da lagartixa, ou tentando entender a quadratura do círculo, não vai resolver a situação.
Então não adianta se preocupar com o desmatamento da Amazônia, por exemplo. É algo que tem de ficar a cargo dos experts do assunto. Nós só podemos congestionar a Internet com circulares clamando contra. Mas que será resolvido pelos técnicos do assunto, ou não será resolvido por ninguém, e a coisa vai continuar, independendo de eu ficar ou não aborrecido com o fato. Claro que isso me incomoda profundamente, pois sou tiete da Natureza, e não gosto de vê-la violentada, assim como abomino a violência contras as pessoas e os animais, mas tenho certeza de que não depende de alguma ação minha modificar tal situação. O máximo que posso fazer é protestar, e o faço veementemente, claro que pacificamente. Mas não vai resolver nada se eu ficar mal humorado por causa disso, ou sair por aí incendiando onibus ou quebrando tudo, mesmo que acabe sendo vítima de algo.
É uma solução simplista? É. É a tática do avestruz, de enterrar a cabeça na areia? Até pode ser. Mas prefiro preocupar-me com problemas mais tangíveis, em ajudar pessoas que precisam de uma ajuda, nem que seja moral. Mas de coisas que posso ajudar realmente a resolver. Não, não sei como resolver a crise da Chechenia, nem tampouco sei onde se realmente  Bin Laden morreu, nem qual a próxima viagem do Lula, ou quando vai haver algum governo honesto neste País.
Se um problema surge, vamos tratar de manter a cabeça fria, para encontrar a solução.
Se a qualquer crise nos desesperarmos, sempre será mais difícil contorná-la. Isto vale também para as famosas crises conjugais. Se eu já tive? Claro, em 54 anos de vida em comum, sempre alguma coisa tem que haver, sempre algumas arestas tem que ser aparadas.
Justamente nessas ocasiões de crise, que temos de manter a cabeça fria, a serenidade, e até mesmo o bom humor. Isso não é fácil? Claro que não é. Mas é aí que está o mérito das pessoas. A irritação, o desespero fazem com que se perca o domínio da situação. E tudo se complica.
Bem, espero que tenha sanado essa dúvida. Esse é o motivo porque estou "de bem com a vida". Simplesmente porque procuro vivê-la dentro de minhas possibilidades, e nessas condições, sempre procuro, seja com conselhos, seja com palavras amigas, confortar àqueles que me procuram. Procuro viver em paz com meu interior, e com o meu Amigão.
Se servir de exemplo, ótimo, pois creio ser esta a melhor maneira de se viver, procurando não prejudicar ninguém, e ajudando quando possível for.
Crianças, de coração aberto, desejo que todos tenham UM LINDO DIA FELIZ, de bem com a vida...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados