TRATADO DE AMOR E SEXO

 

Amor e Sexo são sentimentos interligados, que podem ou não se completar. São constantemente confundidos, tanto que ao ato sexual, chamam: Fazer amor. Mas não é, embora por vezes seja.

Parece coisa de louco? Não deixa de ser mesmo uma coisa de louco...

Vamos resolver por partes (como faria Jack, o Estripador) .

Ambos os sentimentos existem de diversas maneiras, e chegam mesmo a ser chamados por diversos nomes. Contudo, unidos, podem ter três definições.

Vamos a elas.

Sexo sem Amor. Perfeitamente lógico e possível. O que leva duas pessoas a praticarem o ato sexual? Basicamente são movidas pelo desejo. E o desejo nada tem a ver com o amor. O desejo é tão somente a vontade de manter contato íntimo com determinada pessoa.

Por vezes o desejo surge em um simples olhar, em um contato físico, e até mesmo em um contato virtual. Pode-se desejar alguém por algum gesto, um olhar, ou mesmo por algo escrito, que mexe com a libido.

Muitas vezes, duas pessoas se tocam e passa como que uma corrente elétrica entre ambas, e essa corrente só é desligada com o ato sexual. Essas duas pessoas se amam? O mais certo é não. Surgiu o desejo forte, intenso, mas apenas desejo. Uma vez satisfeito pronto... Muitas vezes nem se olham mais.

São os famosos romances de um verão... Paixões muito intensas geralmente são curtas.

A paixão, o desejo quase nunca sobrevive à convivência.

O problema, por vezes, é quando essas paixões ficam latentes e não são satisfeitas.

Ficará para sempre a sensação de que "poderia ter sido tão bom..."

Amor com Sexo. Sem dúvida alguma, é algo que todos querem conseguir. É a explosão completa. O encontro de duas pessoas que, além de se desejarem com volúpia, também se amam. É o encontro ideal. O melhor dos sexos, e o melhor dos amores. Pode apresentar problemas, quando ocorre o fato de um dos parceiros ser mais fogoso do que o outro. Mas é problema superável, pois existindo o amor, facilita o entendimento. Nem todos tem essa sorte, de achar o parceiro (a) certo (a).

Esse encontro é uma questão de fatores imponderáveis. Mas que existe, existe.

Amor sem Sexo. Mais comum do que se pensa. Não estou falando de Amizade pura e simples, ou de amor platônico. Estou falando do Amor de verdade.

Duas pessoas se conhecem. No início do relacionamento, claro amam-se com muito carinho. Geralmente não existe nenhuma paixão avassaladora, mas um amor tranquilo, seguro. O sexo é praticado com naturalidade, com a constância que o desejo de ambos quiser. Sem o desespero, a volúpia dos apaixonados, mas com o prazer total que só quem ama de verdade sabe proporcionar e aproveitar.

Esse amor resiste ao tempo. Claro que o sexo vai arrefecendo com o passar dos anos, mas isso não constitui problema para os que se amam de verdade. Se um dos parceiros ainda tem "pique", mas nota que o outro já não sente o mesmo entusiasmo, respeita o fato, pois sabe que o sentimento que os une não é medido pela freqüência sexual, mas sim pelo prazer que a presença transmite. Ficar de mãos dadas, e olhos nos olhos, tem o mesmo valor do ato sexual.

Infelizmente nem todos entendem isso, e vemos muitos casamentos de muitos anos terminarem porque um dos parceiros, ou ambos, entenderam que o arrefecimento do fogo sexual mostrou o fim do amor. Pelo contrário, é o começo de uma relação gostosa e que deve ser bem vivenciada. Afinal, a melhor companhia que se pode ter no fim do caminho, é aquela que percorreu a maior parte desse caminho ao nosso lado.

Seria bom se todos entendessem isso.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados