SONATA DE AMOR

 

 
UMA SONATA DE AMOR
Marcial Salaverry
 
 
A um amor docemente vivido,
de um jeito apaixonado e louco,
como igual não foi existido,
não se pode fazer ouvido mouco...
 
Amor que arde no peito,
que faz de uma doída saudade,
de um sentimento suspeito,
algo doido e bom de verdade...
 
Sente-se e vive-se o amor, e, destarte,
não existe lugar para a dor,
desde que por amor, da dor se aparte...

E se a dura razão assim atua,
o amor vence seja como for,
quando se apresenta a alma nua...
 
 
Soneto inspirado no soneto de Luis de Camões,
"Amor é fogo que arde sem se ver"

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados